Jornalismo Cultural: entender o tema para dar visibilidade às diversas expressões artísticas

Em 1711, foi publicado, pela primeira vez, o jornal inglês The Spectator que, com seus assuntos variados, foi considerado pelo jornalista e escritor brasileiro Daniel Piza, o marco inicial do jornalismo cultural no mundo. A publicação pretendia se dedicar à avaliação de ideias, valores e artes, sendo fruto de mudanças econômicas e sociais pelas quais a Europa passava no período. Seus textos falavam sobre livros, óperas, costumes, festivais de música, teatro e até mesmo política, sendo críticas às artes a primeira prática a se evidenciar no jornalismo de cultura.

Pela complexidade de conceituar o termo, o trabalho delicado dos profissionais que começaram a se dedicar à área, era de avaliar e traduzir as expressões culturais de forma simples para o público, gerando interesse ao mesmo tempo em que se mantia o contexto de criação das obras artísticas. Foi a partir desse momento que o jornalismo cultural começou a se firmar nos veículos de mídia tradicional, divulgando toda forma de cultura e suas diferentes manifestações.

 

No Brasil, essa vertente teve início em 1808, nas sessões exclusivas sobre artes e literatura do primeiro jornal brasileiro, o Correio Braziliense, que esteve em veiculação durante quase 15 anos. Com o término do jornal, a área cultural só foi explorada com profundidade novamente a partir de 1870, no momento do qual os jornais brasileiros davam destaque à literatura, com postagens de folhetins. Um dos maiores exemplos é a série de crônicas “Bons Dias” de autoria de Machado de Assis, no jornal A Gazeta.

 

O jornalismo cultural na atualidade

Hoje, o jornalismo cultural é uma construção que carrega muito senso crítico, abrangendo toda a pluralidade que o tema oferece. O crescente interesse fez com que o tema entrasse na grade curricular das universidades, além da possibilidade de fazer cursos livres e, até mesmo, pós-graduações, com aulas focadas em entender mais a fundo o conceito de cultura para melhorar a qualidade das críticas.

 

Grandes jornais como Folha de São PauloEstadão, possuem, respectivamente, a Ilustrada e o Caderno 2, seções especializadas em cultura que divulgam e informam sobre programas e lançamentos na cidade de São Paulo. No entanto, em todo o país, não só jornais, como revistas, sites, blogs ou perfis nas redes sociais, exploram o tema de acordo com a demanda nacional e regional. É por conta desse movimento, que os artistas precisam saber se promover para ganhar destaque nessas páginas.

 

Contar com profissionais focados e experientes para ampliar as ações na área da cultura, é de extrema importância. Um bom trabalho de assessoria de imprensa, com uma equipe que entenda a editoria e possua um bom relacionamento com jornalistas é essencial para gerar pautas relevantes e oportunidades de ampliar a divulgação.

 

Recentemente nós, da Atelier de Imagem Comunicação, promovemos o lançamento do CD-livro São Paulo: paisagens sonoras (1830-1880), da pesquisadora, cantora, musicóloga e mezzo-soprano, Anna Maria Kieffer. Lançado pelo Selo Sesc, cliente Atelier, a equipe de comunicação da agência começou a planejar as ações estratégicas de imprensa, meses antes da data do lançamento. Depois de diversos encontros para entendimento da pauta e contato com jornalistas, os resultados vieram: durante o mês de janeiro de 2019, foram quase 30 inserções na mídia, incluindo revistas, rádios, jornais e portais eletrônicos. O lançamento foi destaque nas sessões de cultura em grandes jornais, como os impressos Folha de São Paulo e Valor Econômico, entrevistas com Anna Maria nos programas CBN Noite Total e CBN São Paulo, na rádio CBN, e no programa Metrópolis, na rádio Cultura. Com a ajuda da Atelier, o Selo Sesc conseguiu visibilidade de jornalistas especialistas na área, garantindo uma boa cobertura do novo CD-Livro.

Mais uma vez, essa é a constatação de que, com uma equipe bem preparada e um trabalho sério de comunicação – principalmente quando se trata de temas tão específicos como o jornalismo cultural –, garantem boa visibilidade não só nos melhores canais de mídia, como também para cumprir o principal objetivo dos clientes: atingir o público certo que irá consumir e dar ainda mais relevância – com qualidade – a sua marca, empresa ou produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *